32 C
Mossoró
quinta-feira, 18 de julho, 2024
Por Vonúvio Praxedes
quinta-feira; 18 julho - 2024

É hora de dizer que será candidato(a) em 2024?

Aguarde o momento certo de falar sobre sua candidatura

Depois dos resultados das eleições 2022, obviamente as atenções são voltadas para o pleito municipal de 2024.

Eleitos e não eleitos neste ano iniciam as articulações internas ou mesmo pensamentos sobre a próxima campanha, mas para alguns a hora de confirmar posição não deve ser agora. Queimar a largada poderia atrapalhar os planos e isso beneficiaria pretensos adversários.

Aos que não possuem mandatos de vereador(a), o ano de 2023 é de trabalho e parcerias que garantam visibilidade. Estes serão procurados pelos articuladores de nominatas e no formato atual do pleito é preciso buscar partidos fortes com nomes de peso. Aguarde o momento certo de falar sobre sua candidatura. Se você já estiver no parlamento, reforce suas ações. A campanha de reeleição começou.

No executivo a batalha é ainda maior e o jogo é bruto! As definições começam com os donos dos partidos e esta escolha precisa ser bem avaliada. Autonomia e os fundos partidário/ eleitoral precisam ser levados em consideração. Ninguém faz campanha sem dinheiro.

Em Mossoró, de certo, temos a candidatura à reeleição de Allyson Bezerra (ainda no Solidariedade). Sua campanha é perene por causa do mandato. Como existe uma linha tênue entre gestão e candidatura é algo que precisa ser administrado com muito cuidado. O risco é tomar decisões que causem desgaste político desnecessário.

Reeleita deputada Estadual, inclusive com crescimento de votação, Isolda Dantas (PT) deverá ser o principal nome de oposição a Allyson. A vantagem de agora é ter Fátima Bezerra e Lula como aliados de primeira linha pela sua candidatura. O desafio é garantir parcerias políticas que agreguem votos, como foi a aliança PT/MDB no Governo do RN e PT/PSB na eleição de Lula. Agir com pragmatismo é a lição dada. Superar quem está no poder é desafiador, mas não é impossível, vide eleições 2020 quando Rosalba perdeu.

Por falar na ex-prefeita, o grupo político Rosalbista não ficará anulado. Difícil vai ser confirmar parcerias políticas, hoje divididas. Os erros dos adversários tendem a beneficiá-la politicamente.

O vereador Tony Fernandes (ainda no Solidariedade) diz que não será candidato ao Palácio da Resistência, mas a forma como trata suas conquistas o credencia a formar alianças interessantes. Pode não ser candidato a Prefeito, justamente porque não vai entrar numa disputa para perder.

Como está a política aí na sua cidade? Manda a informação para o Diário Político pelo whatsapp 9 2001 – 6944

PUBLICIDADEspot_img

Deixe uma resposta

ÚLTIMAS NOTÍCIAS