26 C
Mossoró
domingo, 26 de maio, 2024
Por Vonúvio Praxedes
domingo; 26 maio - 2024

Audiência na ALRN vai discutir implantação do Porto Indústria-Multipropósito Offshore

Empreendimento tem como finalidade a exploração da energia eólica offshore em alto mar, técnica que promete revolucionar a matriz energética do estado

PUBLICIDADEspot_img

A Assembleia Legislativa promove nesta quinta-feira (26/10), às 14h, audiência pública com o tema ‘A implantação do Porto Indústria-Multipropósito Offshore no RN: as perspectivas da geração de energia limpa em alto mar para a produção e exportação de hidrogênio verde’. O debate, de proposição do deputado George Soares (PV), visa discutir a implantação do porto entre os municípios de Caiçara do Norte e São Bento do Norte, a 160 km de Natal. 

“A audiência é um evento para discutir o futuro energético do estado e suas implicações econômicas e ambientais. O hidrogênio verde é uma inovação que pode nos tornar mais autossuficientes energeticamente e abrir portas para novas oportunidades de exportação e colaboração internacional. Estamos falando de uma economia verde que gera empregos e protege o nosso planeta”, enfatizou o deputado. 

O empreendimento tem como finalidade a exploração da energia eólica offshore em alto mar, técnica que promete revolucionar a matriz energética do estado. Além disso, o porto se destaca por seu papel na exportação de produtos como o Hidrogênio Verde (H2V).

A localização estratégica do Porto Indústria-Multipropósito Offshore foi determinada após criteriosos estudos técnicos conduzidos pela Universidade Federal do Rio Grande (UFRN), por meio da Fundação Norte-Rio-Grandense de Pesquisa e Cultura (Funpec). Serão investidos R$ 6 bilhões para instalação do novo empreendimento, com previsão de gerar 25 mil novos empregos. 

O potencial do Porto Indústria-Multipropósito Offshore é de extrema relevância, podendo ser o primeiro na América Latina a combinar a produção de energia em alto mar e a produção de hidrogênio verde. Com essa nova infraestrutura, o Rio Grande do Norte estará posicionado para avançar na produção sustentável, aproveitando sua capacidade de gerar energia eólica no alto mar equivalente a 10 usinas de Itaipu, o que equivale a 140 gigawatts de energia eólica offshore. A costa rasa do estado, com profundidades de até 15 metros em um raio de 20 km, facilita a instalação de aerogeradores e oferece ventos excepcionais para a geração de energia renovável.

PUBLICIDADEspot_img

Deixe uma resposta

ÚLTIMAS NOTÍCIAS