26 C
Mossoró
quarta-feira, 19 de junho, 2024
Por Vonúvio Praxedes
quarta-feira; 19 junho - 2024

Estudantes potiguares realizam pesquisa sobre a relação da infertilidade e a Covid-19

Como fruto do estudo, Ellen Mayara e João Augusto produziram artigo científico que foi publicado em revista internacional

PUBLICIDADEspot_img

Ao observarem que havia certa carência de estudos científicos que analisassem a relação da infecção pelo vírus SARS-CoV-2 (responsável pela transmissão da Covid-19) na fertilidade de homens e mulheres, os alunos do curso de Biomedicina da Universidade Potiguar (UnP) Ellen Mayara de Souza Félix e João Augusto Diniz Moura resolveram se debruçar sobre o tema.

Intitulado “COVID-19 e suas implicações na fertilidade masculina e feminina: impactos futuros”, o trabalho foi escrito enquanto ambos participaram da Iniciação Científica do Programa de Pós-graduação em Biotecnologia (PPGB), sob orientação da professora doutora Deborah Padilha.

Ellen Mayara e João Augusto contam com orientação da doutora Deborah Padilha – foto: divulgação

O artigo científico foi aceito e publicado na revista Research, Society and Development (Pesquisa, Sociedade e Desenvolvimento, em tradução livre), um periódico internacional com classificação Qualis A3 do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPQ), órgão científico brasileiro de fomento à pesquisa.

“O objetivo do artigo é investigar os efeitos causados pela capacidade de produzir doenças do vírus SARS-CoV-2 no sistema reprodutivo, envolvendo a fertilidade. Assim, questionamos a possibilidade de o vírus promover a infertilidade e a necessidade de identificar os possíveis efeitos que ele pode desencadear”, detalha João Augusto.

Este artigo é derivado do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) produzido pelos alunos. De acordo com Ellen Mayara, ele é fruto de um trabalho árduo em conjunto. “Estamos confiantes que o estudo irá agregar grande valor no conhecimento de uma das consequências da Covid-19, a infertilidade, que até ainda é pouquíssima estudada, mas que merece atenção da ciência”, destaca a pesquisadora.

PUBLICIDADEspot_img

Deixe uma resposta

ÚLTIMAS NOTÍCIAS