25.1 C
Mossoró
sexta-feira, 20 de maio, 2022
Por Vonúvio Praxedes

Integrantes da Escola de Artes de Mossoró pedem revogação de homenagem dada a produtor cultural em 2018

sexta-feira; 20 maio - 2022

A Escola de Artes de Mossoró completou dez anos de existência no último dia 27 de março de 2022. No dia 6 de Abril, a vereadora Carmem Júlia (MDB), fez a indicação de uma “Moção de congratulação” no legislativo para comemorar a primeira década deste importante equipamento cultural e educativo mossoroense. O problema veio na nomenclatura da Escola de Artes do documento que foi citado como sendo “Escola de Artes Joãozinho Escóssia”. A mudança do nome não era de conhecimento dos servidores que atuam na unidade, com isso emitiram uma nota de repúdio.

“Deixamos claro que não reconhecemos o nome acima como de nossa instituição, tampouco nos fora comunicado em algum momento que esta instituição seria intitulada com o nome que consta no referido documento”.

O texto da nota também pede a revogação desta mudança de nome.

“Em tempo, solicitamos que seja feita REVOGAÇÃO IMEDIATA da Lei Nº 3610, de 30 de abril de 2018, haja vista se constituir como ato arbitrário do Poder Legislativo sancionado pela então Prefeita Rosalba Ciarlini, do qual APENAS AGORA A ESCOLA DE ARTES TOMOU CIÊNCIA”.

A homenagem foi indicação da ex-vereadora Izabel Montenegro (MDB), mãe de Carmem Júlia.

Homenageado

O produtor cultural João Batista Couto da Escóssia, conhecido como Joãozinho da Escóssia, faleceu aos 47 anos na UTI do Hospital Regional Tarcísio Maia em 13 de março de 2017 em Mossoró.

Lei 3610/2018 sancionada pela ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP).
Documento de congratulações da vereadora Carmem Júlia – foto: cedida

Leia na íntegra a nota de repúdio escrita:

PUBLICIDADEspot_img

Deixe uma resposta

PUBLICIDADE

spot_img

PUBLICIDADE

spot_img

ÚLTIMAS