24 maio 2021

Hospital psiquiátrico em Mossoró deixa de ter “cenário de horror” e “gambiarra” positiva movimenta debate político

Instalações da antiga unidade do Hospital São Camilo – foto montagem: blog Ismael de Sousa

As fotos acima são do prédio onde funcionava o Hospital Psiquiátrico São Camilo de Lélis, unidade especializada no tratamento de pessoas com diferentes transtornos que foi municipalizada na gestão Fafá Rosado. Em menos de cinco meses a Prefeitura de Mossoró na gestão Allyson Bezerra (SD) mudou essa realidade que há anos era inaceitável.

A inauguração de uma nova sede do Hospital Psiquiátrico mossoroense (VER AQUI) que passou a ser chamado de Dr. Milton Marques de Medeiros causou uma verdadeira barulheira nas redes sociais. De um lado apoiadores e políticos da base do Prefeito Allyson Bezerra (SD) que agradeciam a entrega do novo espaço que funciona em um prédio cedido pelo Governo do Estado. Do outro lado a base de oposição criticando a não construção do zero da unidade psiquiátrica com recursos disponíveis e projeto pronto.

No sábado (22/05), 60 pacientes foram transferidos para o novo espaço, como relatou o Prefeito: “Mossoró passa a ter um equipamento que busca tratar as pessoas com responsabilidade, dar dignidade aos profissionais de saúde, aos familiares, aos pacientes, a população em geral, que há muito tempo necessitava de um local digno, confortável, adequada, para receber os pacientes psiquiátricos”, destacou o prefeito Allyson Bezerra (SD).

O vereador Francisco Carlos – autor do projeto de mudança do nome – puxou o coro oposicionista escrevendo no twitter: “Com 3,7 milhões de reais disponibilizados pelo FINISA (Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento voltado ao Setor Público) para construir um Hospital Psiquiátrico e projeto arquitetônico discutido com os profissionais de saúde mental ao longo de meses, optou-se pela improvisação. Esperamos que seja temporário, enquanto o novo hospital é construído”. Numa postagem anterior a esta Francisco Carlos havia chamado a mudança de gambiarra: – Mas, a Prefeitura de Mossoró preferiu fazer uma gambiarra. Fazer o que, né? A postagem foi amplamente criticada.

Imagem de projeto do Hospital Psiquiátrico de Mossoró divulgada pelo vereador Francisco Carlos

Urgência 

A mudança foi uma ação urgente para garantir melhor tratamento aos pacientes é o destaque da equipe de saúde do município de Mossoró. Procurada por este Diário Político a secretária Morgana Dantas, da saúde municipal afirma: “Nós não tínhamos tempo para buscar licitação e fazer uma nova obra do zero. Então, com parceiros, conseguimos fazer a adequação do prédio que foi cedido pelo estado”.

A secretária também comentou sobre a planta postada pelo vereador Francisco Carlos: “A planta que exista da outra gestão era totalmente fora do que prega a reforma psiquiátrica. Estamos fazendo a nova planta a partir do espaço que já estamos usando. A nova unidade precisa de adaptar o paciente para voltar a sociedade. Agora que os pacientes estão seguros vamos aguardar autorização da planta pela SUVISA (Superintendência de Vigilância em Saúde) para poder dar continuidade a uma obra”.

Vereadores

Nas redes sociais vereadores da bancada governista saíram em defesa da gestão Allyson, exemplo do presidente da Câmara de Mossoró Lawrence Amorim (SD): “Mossoró virou a página. Os pacientes que estavam internados no antigo Hospital São Camilo, um lugar sem a mínima condição de funcionamento, não podiam mais esperar. A Prefeitura de Mossoró agiu rápido para dar um local digno para internamento desses pacientes”. Lawrence completou: “O povo resolveu mudar, não aguentava mais ter um governo especialista em ‘maquetes’ e ‘promessas’ NÃO cumpridas. Ver as soluções chegarem de forma rápida na atual gestão incomoda alguns, mas satisfaz o povo que precisa”.

Quem também fez uso do twitter para rebater críticas foi Marckuty da Maísa: “Tenham mais respeito com o povo de Mossoró. Tiveram a oportunidade de fazer pelo bem dessas pessoas mas preferiram negligenciar e nada fizeram. Hoje o novo espaço é realidade, e graças a uma gestão humana que cuida das pessoas”.

Um dos vereadores de posição independente na Câmara de Mossoró, Pablo Aires (PSB), publicou sua opinião destacando a importância da transferência com urgência para o novo espaço, mas lembrando da necessidade do novo Hospital Psiquiátrico: “A estrutura pode não ser a ideal ainda, mas é inegável que é mil vezes melhor que o antigo São Camilo. Conheci pessoalmente a realidade da antiga unidade. Cenário de horror. Nossa missão enquanto classe política é somar forças para melhorar a situação. Esse hospital é exemplo disso: prédio cedido pelo governo do estado, mais forças da câmara colaborando, mais recursos federais por meio emendas, mais agilidade da prefeitura”.

Reforçou ainda a atuação responsável da base oposicionista: “Oposição tem importância enorme na democracia, mas tem o dever de baixar as armas quando preciso. Mossoró pode contar com nosso mandato fiscalizador e colaborativo. Quem ganha é o povo”.

Bola fora

O colega jornalista Bruno Barreto deu destaque em seu blog (VER AQUI) a ausência de alguém do Governo do Estado na inauguração da unidade hospitalar, escreveu:

– Mas por que seria necessário convidar alguém do Governo? Simples! Foi a gestão estadual que cedeu o prédio onde funcionou uma unidade da Fundac ao Município para implantar o novo hospital em 4 de abril do ano passado, ainda na gestão da ex-prefeita Rosalba Ciarlini (PP). O novo hospital funciona na Rua Francisco Sólon, no bairro de Boa vista, graças a uma parceria entre Governo e Prefeitura de Mossoró. Nas redes sociais o prefeito agradeceu aos secretários Morgana Dantas (saúde) e Brenno Queiroga (infraestrutura), mas esqueceu da governadora Fátima Bezerra (PT).

Novas instalações do Hospital Dr. Milton Marques de Medeiros – fotos: PMM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *