25 out 2020

EXCLUSIVO: Candidato “dançarino” à Prefeitura de Mossoró dá detalhes de sua paixão

A campanha política este ano tem revelado alguns “artistas” mossoroenses em busca do voto do eleitor. Entre tantos talentos conversamos com um que ganhou a internet e grupos de whatsapp nos últimos dias. Com seus 51 anos o candidato Professor Ronaldo do PSOL ganhou destaque por causa de vídeos que mostram seu gosto peculiar pela dança.

Em conversa com o Diário Político, Doutor em Matemática pela IME-USP, Professor da UFERSA há 14 anos disse ser “dançarino” deste adolescente e caso consiga 5% da votação em Mossoró no pleito deste ano vai mostrar sua elasticidade AO VIVO.

Perguntamos ao candidato: de onde vem esse gosto pela dança?

– Eu amo dançar, e eu sou conhecido, não por saber matemática, mas por ter dançado muito nos bailes de Mossoró e por onde ando em meus congressos. Curtir muito os Barbaros com Rock Baby, o Pop Som, The Black Som, festas nos clubes como QRV, Aceu, ACDP, Sesi, a minha vida era dançar, nunca usei tamanco, sapato alto, mas quebrei de muitas meninas que se união a mim para dançar.

Eu não preciso de beber ou me drogar para dança, eu preciso só que a banda toque.

O senhor já ganhou algum concurso de dança?

– Ganhei vários concursos de danças que eram realizado em festas ali na hora. Na verdade quando ia para as festas, a banda passava despercebida e atração era eu. Eu gosto tanto de dançar que quando deixei a Capotaria França que foi meu primeiro emprego, e sem carteira assinada, foi minha escola dos 10 aos 15 anos, minha perguntou “meu filho e seus finais de semana, eu não vai ficar ruin para você?” Eu disse que ela não se preocupa-se que iria me dedicar aos meus estudos. Mesmo sem emprego e sem renda, como eu era muito divertido, dançava esta “loucura” que você já pegou no final, os meus amigos faziam questão de me levar, e eu me divertia ainda mais.

Dançarino e descontraído, sempre foi assim? Onde foram gravados esses vídeos?

– Sempre fui muito alegre, dancei muito no antigo Orange, em Eudinho discotecas do Alto São Manoel. Quando casei fiquei mais quieto. Então fui largando a vida noturna, a dança foi deixando de estar presente em mim. Mas, eu tenho um problema, não mando no meu esqueleto a banda tocou eu danço, o no dia da praça, estávamos com professores de Campina Grande, São Paulo, Rio de Janeiro, Fortaleza, Natal em um evento e quando acabou fomos para a praça, uma música tocava, o cara tocava sozinho, eu comecei a dançar, alguém começou a filmar, eu nem aí estava a fazer o que mais amo, dançar.

E a dança da calça rasgada?

– O segundo momento foi nas eleições de 2010 para o senado, obteve 6639 votos, fui votado em todo estado, sem sair de Mossoró com um gasto de R$4.000,00 mais ou menos, os alunos responsáveis por isso fizeram esta comemoração, e como a música tocou eu dancei. Eu sempre que vou aos congressos, ao termino temos confraternização eu danço, eu fico a vontade para esta expressão corporal. Assim, foi em vários eventos na Espanha, na Austria, na França, e por último em Portugal. Eu, sinto muito, mas gosto muita de dançar.

O senhor pretende repetir essa dança?

– Estão querendo me atingir, me derrubar, por conta que estava dançando, me divertindo entre os amigos, na praça ou em ambientes privados. Desde quando dançar é crime. Esta galera que pensa que dançar é crime é a mesma que acredita que pensar é crime, o que deixa a população sem pensar nos seus direitos como pagadores de impostos.

A turma é baixa, mas o que mais gosto de fazer é dançar, e se quiserem ver eu dançar de novo AO VIVO deixe a minha votação em pelo menos 5%.

É feliz dançando?

– São muitas histórias boas que as minhas andanças promoveram. Estudar, dançar e curtir a vida são as melhores coisas que aprendi a fazer. A política não é minha praia, estou aí porque não me sinto seguro do meu futuro com estes políticos que tudo vale para chegar ao poder. Me desculpa o desabafo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *