14 maio 2019

UFERSA rebate declarações de presidente do PSL mossoroense

Depois da declaração dada pelo médico psiquiatra Daniel Sampaio, presidente do PSL de Mossoró sobre as universidades Federais, a UFERSA publicou uma nota de esclarecimento que rebateu algumas acusações do político. Confira abaixo a nota na íntegra.

– NOTA DE ESCLARECIMENTO –

A Universidade Federal Rural do Semi-Árido – Ufersa vem a público esclarecer algumas declarações dadas pelo psiquiatra Daniel Sampaio em entrevista concedida à TV a Cabo Mossoró – TCM, em 07 de maio de 2019.

Sendo o entrevistado médico atuante no município de Mossoró, a Ufersa entende que parte das afirmações feitas por ele podem causar preocupação a comunidade, em especial às famílias dos discentes.

Equivocadamente, as declarações dadas pelo médico podem levar à conclusão de que a Universidade, isoladamente, pode ser apontada como causadora de adoecimento mental e dependência química nos seus discentes. Contudo, amparada nas discussões atuais sobre transtornos mentais, compiladas no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM-V), na última edição da Classificação Estatística Internacional das Doenças e Problemas Relacionados à Saúde (CID 11) e na literatura científica especializada, a Universidade entende que os transtornos mentais e do comportamento têm origem e desenvolvimento multicausais, dada a influência dos fatores sociais, culturais, genéticos, neurobiológicos e psicológicos.

Especificamente quanto ao transtorno por uso de álcool e outras drogas, destaca-se que existem fatores genéticos e fisiológicos associados a uma maior propensão ao uso indiscriminado dessas substâncias. Além de que, trata-se de um dos transtornos mais prevalentes na sociedade brasileira, principalmente entre homens, adolescentes e jovens adultos, em situação de vulnerabilidade socioeconômica, ou seja, a precariedade no acesso à saúde, à moradia, à alimentação, ao emprego e à educação.

Apesar de 87,5% dos discentes da Ufersa estarem classificados como economicamente vulneráveis (e 93,65% dos discentes assistidos com recursos do Programa Nacional de Assistência Estudantil para cursarem a graduação), 95,3% dos estudantes da Ufersa nunca fizeram uso de drogas ilícitas, seja dentro ou fora da Instituição, segundo dados da 5a Pesquisa Nacional de Perfil Socioeconômico e Cultural dos Graduandos das Instituições Federais de Ensino Superior de 2018.

Adicionalmente, ao invés de promover um ambiente de estímulo ao uso de drogas, a Ufersa promove ações institucionais de prevenção e conscientização e combate, em especial ao comércio ilegal de substâncias. Ao contrário do afirmado pelo entrevistado de que a polícia é proibida de entrar no campus, as ações são integradas com as polícias Militar e Federal. A instituição oferece aos discentes assistência social, psicológica, nutricional e pedagógica, além de práticas de esportes, ensino de música, moradia e alimentação de qualidade e programas e projetos de ensino, pesquisa e extensão.

Destaca-se que não é de conhecimento desta Universidade e dos seus profissionais, bem como da literatura científica, a associação entre tatuagens e transtornos mentais, ou capacidades moral e intelectual do indivíduo.

As afirmações de que as universidades não fizeram prestação de contas, causando assim o corte de recursos, demonstra desconhecimento do funcionamento das IFES, pois, assim como toda instituição pública, elas são obrigadas a prestar contas anualmente dos recursos recebidos, de acordo com artigo 70 da Constituição Federal, além de serem frequentemente auditadas por órgãos de controle como a Controladoria Geral da União (CGU) e o Tribunal de Contas da União (TCU). A Ufersa mantém aberta para a sociedade as suas prestações de conta dando transparência ao contribuinte. No Portal Ufersa, na página da Pró-Reitoria de Planejamento, é possível conferir os números bem como os relatórios de gestão dos últimos anos.

Por fim, a Ufersa salienta que cumpre com sua função educativa e social e reafirma seu compromisso na promoção de um ensino público de qualidade e na formação de profissionais aptos a atuarem no mercado de trabalho e a participarem como cidadãos ativos e conscientes na sociedade.

Mossoró/RN, 14 de maio de 2019.

2 thoughts on “UFERSA rebate declarações de presidente do PSL mossoroense”

  1. Li e aprovei a nota da Ufersa em resposta as agressões descabidas do psiquiatra Dr. Daniel Sampaio. E não vou nem repetir as palavras agressivas e sem qualquer credibilidade contra os (a) estudantes de uma das instituições de grande respeito e credibilidade que é a UFERSA. Se esta querendo crescer politicamente em Mossoró, esta trilhando o caminho errado. Pois não só faltou com respeito aos estudantes, como a todos os seus familiares e a nossa querida UFERSA. Obs: tenho uma filha formada em Engenheira Civil pela UFERSA, e a mesma sempre teve orgulho (Como todos nossos familiares) de ser estudante e ter se formado por essa grandiosa instituição de ensino. Uma boa tarde.

  2. Concordo com a nota. Mas não deixo de ficar triste quando vejo a que ponto chegamos. Um medico psiquiatra que sentou nos bancos de uma academia para ter seu diploma desconhecer, ou de propósito, distorcer dados epidemiológicos a cerca das causas das dependências químicas. É de causar enorme indignação. E como ex aluna dessa casa e da ufrn desejo ardentemente que não apenas meus filhos mas inúmeros filhos de trabalhadores tenham oportunidade que eu tive de ter a vida transformada graças a educação publica gratuita e de qualidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *