03 jun 2019

Prefeita Rosalba defende prorrogação de mandatos para eleições unificadas

A prefeita Rosalba Ciarlini participou do Encontro Municipalista com a bancada federal realizado nesta segunda-feira (03/06) no auditório da FIERN, em Natal. O encontro foi uma iniciativa da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN) e contou com a participação de prefeitos, vereadores, além da bancada federal do Estado.

Além de integrar a FEMURN, a prefeita representou também a Federação Nacional dos Prefeitos, na qual ocupa cargo de vice-presidente eleita. Em seu discurso, Rosalba reforçou a importância da pauta municipalista e da melhor distribuição dos investimentos para os municípios. A prefeita de Mossoró foi enfática na defesa da PEC 56 e propôs um documento a ser assinado como compromisso da bancada federal pela aprovação.

“Precisamos direcionar esses investimentos aos municípios, não podemos gastar milhões com a realização de eleições e enfrentar tantas dificuldades para o básico, como o pagamento da folha de pessoal. Por isso proponho aqui um acordo, a assinatura de um compromisso com a bancada federal aqui presente e também a ser assinado pelos que não puderam participar desse momento”, destaca Rosalba, citando a PEC 56/2019, que propõe a prorrogação dos mandatos dos atuais prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, unificando as eleições gerais e as eleições municipais.

A reunião com a bancada federal dará continuidade aos encontros já realizados pela frente parlamentar, ocorridos no mês de maio, na Assembleia Legislativa. O encontro tratou ainda de pautas como retirada dos Programas Federais do limite prudencial; Projeto de lei, disciplinando prestações de conta e aplicações de sanções pelo TCE e engajamento da bancada municipalista para o cumprimento da carta dos prefeitos.

One thought on “Prefeita Rosalba defende prorrogação de mandatos para eleições unificadas”

  1. Concordo com a unificação das eleições. E a montanha dinheiro gastos em duas eleições, pode e deve ser gasto em uma só. E com isso, investir o dinheiro da eleição não ocorrida, em setores básicos. Que hoje, na minha opinião, é a saúde pública, segurança e educação. Cito um exemplo: Não dá mais para suportar, ver as notícias desumanas de como as pessoas estão sendo massacradas, seja no HRTM do governo, seja nas UBSs, seja no PAM da prefeitura de Mossoró. Cito exemplo II. Tenho uma vizinha que chegou as 04:00 da madrugada na UBS Dr. Sueldo Câmara no Aeroporto II. A quantidade de pessoas já estava completa (13 fichas) A revolta da minha vizinha. Ela disse. “Até o ano passado eram 16 fichas para cada médico, no lugar de aumentar as fichas diminuiu, e olha que nosso bairro tem mais de 10 mil habitantes” Relato final da minha vizinha. Ela diz revoltada. “O pior, é que a responsável pelas marcações das consultas, só marca as 09:00 horas da manhã mesmo estando dentro da UBS” Ou seja, é ou não um massacre? Obs: Aconselhei minha vizinha a comunicar o fato a secretaria de saúde e ouvidoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *