08 maio 2019

Pesquisa CNI/IBOPE mostra opinião dos brasileiros sobre reforma da previdência

Pesquisa encomendada pela CNI – Confederação Nacional da Indústria, realizada pelo IBOPE, releva que a maioria da população brasileira concorda com a reforma da Previdência, mas uma significativa parcela não aceita a proposta atual do Governo Federal.

Veja os números:

Concordam: 59%

Discordam: 36%

Não sabem/não responderam:5%

Não concorda nem discorda: 1%

O Ibope ouviu 2 mil pessoas em 126 municípios entre os dias 12 e 15 de abril. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais para cima e para baixo.

A reforma da Previdência é considerada pelo governo uma das principais medidas para conter o rombo nas contas públicas e retomar o crescimento da economia. O texto foi enviado pelo Palácio do Planalto ao Congresso em fevereiro. Já foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara e atualmente tramita em uma comissão especial na Casa.

O Ibope também questionou se os entrevistados eram favoráveis à proposta do governo para a reforma da Previdência. A maioria se disse contrária. As respostas foram:

A favor: 39%

Contra: 51%

Não sabe/não respondeu: 10%

Outra pergunta da pesquisa foi sobre a necessidade de estabelecer uma idade mínima para a aposentadoria, uma vez que as pessoas estão vivendo cada vez mais. A maior parte se disse favorável.

Concordam: 72%

Discordam: 23%

Não sabem/não responderam:4%

Não concorda nem discorda: 1%

Ainda de acordo com a pesquisa, a faixa de idade que mais pessoas apontam como aquela em que a aposentadoria deve ocorrer é entre 56 e 60 anos. Pela proposta do governo, a idade mínima para trabalhadores urbanos é de 65 (homens) e 62 (mulheres).

Com 65 anos ou mais: 6%

Entre 61 e 64 anos: 13%

Entre 56 e 60 anos: 33%

Entre 51 e 55 anos: 25%

50 anos ou menos: 22%

Não sabe/não respondeu: 1%

O Ibope também mediu a percepção dos entrevistados sobre o valor da aposentadoria ser proporcional ao tempo de contribuição. Para 59% dos brasileiros, é injusto que aqueles que se aposentam mais cedo recebam menos que aqueles que se aposentam mais tarde.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *