29 jan 2020

Mossoró tem dia D contra hanseníase nesta quinta-feira

Médicos e profissionais da saúde realizam, nesta quinta-feira, 30/01, atividade para diagnóstico da hanseníase em Mossoró. A ação acontecerá durante toda a manhã no PAM do Bom Jardim, por meio de uma parceria entre a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), por meio do Instituto de Medicina Tropical (IMT), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e Prefeitura de Mossoró.

Atendimentos serão realizados no PAM do Bom Jardim – foto: assessoria

Pessoas com manchas de pele dormentes ou lesões crônicas que não estão melhorando com tratamentos convencionais ou que tiveram contato com hanseníase devem se dirigir a essas unidades para triagem, diagnóstico e tratamento — nos casos de confirmação. Todos os atendimentos são gratuitos e realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Números

O RN é um dos lugares com menor índice observado de hanseníase no Nordeste, com cerca de 250 a 300 confirmações anuais. Para efeito de comparação, o Ceará tem cerca de 2.000 casos novos por ano e a Paraíba 300. O problema é que, por ter poucos casos, a doença é mais negligenciada, fazendo aumentar o número de pessoas diagnosticadas tardiamente.

No RN, o número de casos novos de pacientes com incapacidade neurológica irreversível é de 12%, quase o dobro da média nacional, que é de 7%. Para o médico dermatologista Maurício Lisboa Nobre, assessor para hanseníase da OMS no RN e pesquisador do IMT, essa é uma prova de que o estado está negligenciando a doença e muitos casos não estão sendo descobertos.

Selma Jerônimo, diretora do IMT, alerta para urgência de tornar esse problema cada vez mais conhecido da população, a fim de evitar que continue se espalhando e causando tantos estragos. Segundo ela, o trabalho do Instituto de Medicina Tropical tem ajudado nesse percurso, não só identificando as áreas de risco e atuando junto às localidades, mas também buscando entender o mecanismo de transmissão e proliferação, além de oferecer novas possibilidades de diagnóstico e tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *