21 mar 2019

Temer e Moreira Franco serão levados para mesmo batalhão da PM em que Pezão está preso

Via O GLOBO

O ex-presidente Michel Temer, preso nesta quinta-feira, 21/03, deve ser levado para o Batalhão Especial Prisional (BEP), em Niterói, o mesmo em que está preso o ex-governador Luiz Fernando Pezão. Também serão levados para o local o ex-ministro Moreira Franco e João Baptista Lima Filho, conhecido como coronel Lima. A decisão que definiu a prisão dos três na unidade é do juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do Rio.

Com 3 x 4 metros, a Sala do Estado Maior conta com uma cama, prateleira e mesa, além de banheiro com vaso sanitário, chuveiro e pia . Ele tem direito por lei de ficar na área especial por ter sido detido no exercício do cargo.

Prisão

A força-tarefa da Lava-Jato prendeu na manhã desta quinta-feira, 21/03, o ex-presidente MichelTemer e seu ex-ministro das Minas e Energia Moreira Franco. Agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram 10 mandados de prisão – oito preventivas e duas temporárias em São Paulo, Rio, Porto Alegre e Brasília. A ordem dos mandados de prisão é do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro. A ação, denominada Descontaminação, é um desdobramento da Operação Radioatividade, que investiga desvios nas obras da Usina de Angra 3 e tem como base a delação do empresário José Antunes Sobrinho, dono da Engevix, que menciona pagamentos indevidos de R$ 1 milhão em 2014.

Além de Temer e Moreira Franco, estão presos o coronel Lima, amigo do ex-presidente,sua mulher, Maria Rita Fratezi, acusada de atuar na lavagem de dinheiro por meio da reforma de um imóvel da filha de Temer, Maristela. O ex-presidente da Eletronuclear Othon Luiz Pinheiro também foi preso em sua casa, em Ipanema, na zona sul do Rio. Os demais são Carlos Alberto Costa e Carlos Alberto Cosra Filho, Vanderlei de Natale e Carlos Alberto Montenegro Gallo.

O Ministério Público Federal (MPF), na peça que sustentou o pedido de prisão de Temer, alegou que “foi possível demonstrar também que o dinheiro desviado dos cofres públicos serviu para custear reforma na casa de Maristela Temer, filha do ex-presidente da República, o segundo a ser preso depois de Luiz Inácio Lula da Silva.

O MPF afirma que a relação de Lima com Temer é de extrema confiança desde a década de 80. “Juntos construíram uma vida de cometimento de ilícitos em prejuízo ao Erário e que por quase 40 anos a parceria criminosa atua de forma estável,perpetuando-se por décadas”, diz a acusação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *