06 abr 2019

“Há uma segregação entre a capital e o interior”, diz professor da UERN sobre corte de emenda.

De acordo com publicação do blog do Barreto VER AQUI uma revisão de cortes de emendas da bancada federal do RN vai prejudicar a UERN e saúde do Estado.

Dentro desta questão Humberto Fernandes, professor da UERN, publicou em suas redes sociais um desabafo:

À UERN, maior instrumento de alforria social do RN e IES que mais educadores formou no Nordeste, foi assegurado emenda coletiva federal de 20 milhões, pela primeira vez em seus 50 anos de história. Esse valor, de acordo com a programação apresentada, seria usado nos Campi de Pau dos Ferros, Patu, Assu, Caicó, Natal e no Campus Central em Mossoró, produzindo riqueza, conhecimento e desenvolvimento para todo o RN. Todavia, a noite de ontem para hoje trouxe uma novidade em forma de espanto, já que a bancada federal resolveu separar os cidadãos/eleitores do interior potiguar dos da capital, contingenciando 15% desse valor para o Município de Natal – isso mesmo, retiraram o pouco investimento para o interior do Estado, destinado a educação, para beneficiar apenas um município, que, historicamente, é quem sempre gozou dos principais investimentos do RN. Para a bancada federal, o resto do RN não importa, já que o pórtico dos Reis Magos encerra o território potiguar. Sou obrigado a compreender que, neste momento, há uma segregação entre a capital e o interior, forçando-me, portanto, a declarar minha filiação ao interior, ou seja, a Mossoró, Apodi, Pau dos Ferros, Caicó, Areia Branca, Assu, Patu, Encanto, Caraubas, etc., ao tempo que deixo o registro desse descalabro político.

Humberto Fernandes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *