29 set 2020

Dilemas: A ignorância do(a) mal agradecido(a)

Por Alexandre Fonseca

Alguma vez na sua vida, parou pra pensar no impacto de omitir um “obrigado”? O que pode causar no seu próprio futuro e na conduta do colega que te ajudou? É uma análise um tanto quanto complexa e que precisamos fazer! Necessário até usar da empatia, imaginando como aquele(a) que te fez uma bondade, vai enxergá-lo(a) daqui para a frente.

A falta de agradecimento culmina, em sua maioria, não só na ignorância de alguém aparentemente desumilde com quem lhe ofereceu a mão, como também, pode, de forma inevitável, colocar o ajudante na situação de não querer jamais te prestar nenhum outro favor.

A ausência de reconhecimento do ato de amparo, será potencialmente transformada em desestímulo.

Hipoteticamente, o ajudante vai se perguntar: por qual motivo prestaria assistência a alguém que não sabe agradecer? Não é confortante! Outra coisa: emoji ou silêncio nunca substituirão o peso de dizer um elementar “obrigado”.

Dizer o-b-r-i-g-a-d-o com todas as letras, é a chave para garantir que você mesmo(a), quebre as suas próprias limitações e construa um estado de consciência, respeitando aqueles que tiraram um pouco do seu tempo e o dedicou aos caprichos do pedinte. Ou seja…

Quando receber uma resposta sonora e negativa da próxima vez que solicitar um apoio, não tem direito nenhum de estranhar a atitude. Quem não exerce a gratidão, vai ter que caminhar na estrada da própria grosseria. Uma vez ou outra!

Não é só uma questão de gentileza, é fomentar a compreensão no valor do tempo de alguém, das ações do colega e de ser humilde no ímpeto.

Aquela história da decepção vir de quem menos se espera, está cada vez mais real. Afirmo a partir dos relatos de pessoas tristes com a experiência de não terem sido reconhecidas verbalmente. E a mágoa, tem quem guarde ela até o último dia de vida na Terra. Pode apostar!

Reflita um pouco… Tente agradecer da próxima vez, caso não tenha o hábito de fazer isso. Não havendo nenhum tipo de mudança, é causa perdida. O status de pessoa ignorante e mal educada, nunca será removido da sua personalidade.

Por outro ladro, existe gente disposta a quebrar todo o sentido dos parágrafos acima, com o simples argumento de “fazer sem esperar algo em troca”. E é uma vivência particular muito experimentada. Quantas vezes ofereci meu apoio e tive o silêncio como resposta? Continuo oferecendo! Meu tempo, decido como uso. Não permito que se aproveitem, claro.

Uma coisa é certa: todos nós precisamos de todos nós, e o mínimo que se deve fazer, é ser grato por quem é por você. Um gesto que pode transformar visões, julgamentos. Lembre-se: nem todo mundo usa o “simples argumento”. Alguém vai te dizer “não” um dia, pois, você não soube dizer “obrigado”. Pense nisso!

2 thoughts on “Dilemas: A ignorância do(a) mal agradecido(a)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *