30 abr 2020

Alegando “Consórcio Reacionário” líderes da REDE pedem intervenção Nacional junto ao partido no RN

Filiados à REDE Sustentabilidade no Rio Grande do Norte estão insatisfeitos com a recente articulação política envolvendo João Gentil, presidente do partido no RN e vereador licenciado de Mossoró. Gentil deixou a Câmara Mossoroenses para assumir a Secretaria de esportes da Prefeitura de Natal.

Rechaçando tal medida política que coloca no mesmo lado a REDE com o PSDB (partido do Prefeito da capital Álvaro Dias), Freitas Júnior, membro da executiva nacional da REDE, emitiu uma nota pedindo “intervenção necessária” do partido aqui no Rio Grande do Norte. REDE e PSDB são ideologicamente opostos.

“Diante disso pedimos que a nacional faça a intervenção necessária e suspenda todo filiado ou filiada que esteja na administração do consórcio reacionário que está no Palácio Felipe Camarão, sede da administração municipal de Natal”, diz nota assinada por Freitas que garante com dezenas de assinaturas num documento que pede a intervenção na direção nacional da REDE no RN. Medida que poderia resultar na troca de João Gentil da presidência do partido.

Confira abaixo nota na íntegra:

NOTA

Somos fruto de um movimento amplo e plural que propondo a renovação política, o aprofundamento da democracia, a preservação ambiental e o combate as desigualdades sociais recolheu com muito esforço e incansável trabalho mais de 1,2 milhões de assinaturas necessárias para o registro da Rede Sustentabilidade enquanto partido político.

Durante todo esse tempo nos esforçamos para que a Rede Sustentabilidade no Rio Grande do Norte fosse um partido independente e progressista e que em congruência com a sua posição nacional dialogasse com os partidos de oposição ao governo Bolsonaro.

O anúncio de que a Rede agora participa do governo Álvaro Dias, ocupando a Secretaria de Esportes do município de Natal através do vereador mossoroense João Gentil em triangulação com o PSC do ultradireitista deputado estadual Coronel Azevedo – garantindo assento a extrema direita na Câmara de Mossoró – representa uma atitude incoerente, atentando contra a história, o programa e a atuação nacional da REDE, através de suas instâncias e mandatos no Congresso Nacional.

O prefeito Álvaro Dias, oriundo do PMDB, agora no PSDB, é o representante do consórcio PSDB-MDB-DEM liderado pelo ex-presidente da Câmara Henrique Alves, pelo ex-senador José Agripino Maia e Rogério Marinho, relator da Reforma Trabalhista e atual ministro do desenvolvimento regional do governo Bolsonaro.

Há que se lembrar que a gestão Dias também apresenta uma visão atrasada e antiambientalista, como pode se perceber no debate atropelado do Plano Diretor, na defesa da verticalização da cidade e na sua campanha pela demolição do histórico Hotel Reis Magos.

Também é preciso salientar que a Rede no Rio Grande do Norte não possui Elo estabelecido e não teve Conferência para estabelecer estratégia e tática política e eleitoral, logo cabendo a esfera nacional a sua orientação nesse quesito. Diante disso pedimos que a nacional faça a intervenção necessária e suspenda todo filiado ou filiada que esteja na administração do consórcio reacionário que está no Palácio Felipe Camarão, sede da administração municipal de Natal.

Também discordamos veementemente do grupo de João Gentil em sua aproximação com políticos ficha suja, como aconteceu em Ielmo Marinho e na decisão de esvaziar a chapa proporcional da Rede em Natal, levando os pré-candidatos para o partido Avante, numa clara demonstração de total falta de compromisso com o projeto partidário.

Continuaremos fazendo oposição ao prefeito Álvaro Dias e lutando de forma digna e horanda pelos ideais que um dia permitiram o surgimento da REDE SUSTENTABILIDADE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *