08 out 2021

Um recado aos que preferem culpar a imprensa

– A culpa de tudo de ruim que acontece com determinados políticos ou autoridades é mesmo por causa da cobertura da imprensa?

– Não.

A resposta é simples e objetiva, mas alguns acham mais fácil culpar quem apura informações até mesmo com a população que tem na imprensa algo que comumente não possuem: “voz”.

Lembrando que além de políticos outras autoridades também não são isentas de investigações jornalísticas que buscam a verdade dos fatos. Denunciar e saber a existência de casos de corrupção, violência e outros crimes é direito dos cidadãos. A liberdade de imprensa e de expressão interessa quem busca uma sociedade sem amarras.

Rádios, TVs, blogs são por várias ocasiões os meios pelos quais as pessoas conseguem atingir – no sentido de serem notadas – determinadas autoridades ou gestores.

Recebemos diariamente reclamações, pedidos e basicamente quem está do outro lado é por algum motivo e por vezes sequer estes pedidos são publicados, porque as pessoas são até melhor orientadas a respeito de suas cobranças. Agora, quando envolve algum tipo de investigação com Polícia Federal, Ministério Público ou Justiça Eleitoral a culpa finda sendo – na boca de alguns – da imprensa.

Como dito por vezes, as afirmativas de que existe imprensa de oposição e de governo, reflito que isso é algo que vai do interesse dos denunciados. Agradar e desagradar não é papel de imprensa, afinal “A verdade é filha do tempo, e não da autoridade”.

Dito isto é importante ressaltar o ensinamento clichê de vovô: “Não faça o errado para não estar errado”.

Importância da imprensa livre

O Prêmio Nobel da Paz de 2021 foi para a filipina Maria Ressa e para o russo Dmitri Muratov, por seus esforços para salvaguardar a liberdade de imprensa e de expressão em seus países, “uma condição para a democracia e a paz duradoura”. A homenagem, entendida como um endosso à importância do trabalho jornalístico de modo geral, foi anunciada durante uma cerimônia em Estocolmo nesta sexta-feira.

A decisão do Comitê Norueguês do Nobel, organização responsável pelo prêmio anual, foi considerada surpreendente, mas já se especulava que os vencedores pudessem ser pessoas ou organizações que buscam garantir a liberdade de imprensa, diante da proliferação de informações falsas e dos ataques contra o setor. O objetivo, afirmou a presidente do Comitê, Berit Reiss-Andersen, é “reforçar a importância de proteger e defender” direitos básicos:

— O jornalismo livre, independente e embasado por fatos serve para proteger contra abusos de poder, mentiras e propagandas de guerra. O Comitê Norueguês do Nobel está convencido de que a liberdade de expressão e a liberdade de informação ajudam a garantir um público bem informado — disse Reiss-Andersen.  — Esses direitos são pré-requisitos cruciais para a democracia e protegem contra guerras e conflitos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *